sábado, 28 de fevereiro de 2009

Papai do Céu não foi legal comigo...


Há 5 meses a minha casa era uma festa só...

Além da Gucci e da Meg, mais 4 bbzinhos vieram fazer nossa alegria...

Ficamos completamente perdidos, pois, nem eu e nem meus pais sabíamos lidar com uma cachorra dando cria. Mas acabamos nos saindo bem no final das contas... Eram 4 "ratinhos", como a minha mãe dizia...

Logo de cara já enfrentei a guerra e escolhi a minha...Já era uma pestinha e eu identificava ela pelo narizinho...Minha sobrinha deu os nomes, e, quando os outros 3 ganharam outro lar, a Mel ganhou meu coração por inteiro...

Era o novo xodozinho da casa... Foi crescendo e seu lado atentadinho se aflorando...Comia o carpê, os sapatos, os prendedores de cabelo, as bolas da árvore de Natal...mas, eu não me importava! No final das contas, minhas broncas eram sempre rindo..

Engraçadinha, espuleta, cópia fiel da mãe dela, a Mel era diversão garantida...

Me acordava no meio da noite pra brincar, de manhã me enchia de beijo até eu abrir o olho e não sossegava enquanto eu não desse o dedo pra ela morder...

Quando a irmazinha dela vinha pra cá, a Gucci sempre tomava partido pela Mel...Cuidava das duas brincando igual uma mãe mesmo...e,se elas "se estranhavam", a Mel era a protegida...

Eu ficava encantada com o jeito que a Gucci cuidava dela...o instinto sempre falando mais alto... Ficava horas beijando a filhinha enquanto essa se espreguiçava, toda preguiçosa igual a mãe...

Enquanto a Meg "não se mistura muito" e ficava na dela, a Mel e a Gucci passavam o dia brincando...eram a alegria da casa..o colorido dos dias por aqui...

A ansiedade pra entrar no carro pra passear, a festa que faziam no meio da rua, nas calçadas... Nada se compara ao que eu aprendi com a Gucci nos últimos 5 anos e com a Mel nos últimos 5 meses...

Agora, Papai do Céu decidiu acabar com a minha festa...Levou a Gucci em um dia e a Mel no outro...Não sei se o propósito Dele era juntar as duas, não permitir que mamãe e filhinha ficassem longe, se Ele queria o céu tão alegre enquanto a minha casa estava, mas, Ele não exitou em me tirar 2 das coisas que eu mais amo no Mundo...

Algumas pessoas, não entendem..Mas, elas eram uma partezinha de mim...

O Cotoco e o Cotoquinho....A Branquinha e a Porcariazinha...tudo o que deixava essa casa cheia... Com ar de casa feliz...

Hoje, meu coração tá duas vezes de luto...Olho pra Meg e a vejo perdida, sozinha em casa...

Olho pra mim, e acho que vejo uma mamãe sem suas filhinhas...

Papai do Céu não foi legal comigo...Definitivamente, não foi....

3 comentários:

Juliana disse...

Mi... mais uma vez... meus sentimentos...
Tenho minhas filhinhas de quatro patas tb, as amo muito mesmo, e lendo o que você escreveu me coloquei exatamente no seu lugar, não teve jeito... não contive as lágrimas...
Sim, talvez elas não pudessem se separar, mas de uma coisa eu tenho certeza, mesmo vc não as vendo, elas vão estar ao seu lado SEMPRE, cuidando para que vc não fique triste, assim como faziam quando estavam aqui.
Queria muito poder te abraçar forte agora. Os dias vão passar, a dor vai abrandar, ficarão as lindas lembranças e a saudade...
Te adoro muito, minha amiga.

the-blackboots disse...

Oi Mi, querida!
Aqui quem fala é a Flora - com quem há muito tempo, apesar da "retomada de contato", você não fala. Aliás, acho que eu tou falhando muito, nesse negócio todo de retomada de contato com as pessoas - a culpa é minha mesmo! ;P ~

Anyway...
Quero expressar os meus profundos sentimentos pela sua perda, e dizer que meu coração está contigo. Não sei se você se lembra, mas eu era muito afeiçoada a bichos de estimação, e sempre tive pelos meus um amor absurdo, incondicional, e sempre fui criticada por isso. Entendo perfeitamente a sua dor - nada no mundo substitui um "filhinho querido" que se foi. Mas a "mágica" da natureza foi operada - ao menos enquanto suas filhotas estiveram contigo e com a tua família, iluminaram as vidas de vocês, e mostraram o quão poderosa e inestimável é a companhia de um animalzinho.
Procure lembrar sempre delas como esses anjos que foram, trazendo tanta alegria, tantas mudanças e tanta luz à vida dos donos. Às vezes a gente não se dá conta, mas aprende sim, e muito com essas criaturinhas maravilhosas da Mãe Natureza!
A poesia fala da dor como uma ferida cujo único remédio eficaz é o "tempo", então, deixemos que ele passe, e transforme essa enorme ferida em cicatriz. Porém, o fim da dor jamais é o fim da lembrança; as cicatrizes sempre existem como forma de nos lembrar da lição que aprendemos, através daquela ferida.
Tudo de melhor pra você, querida, um grande beijo, e que Deus, com o tempo, alivie sua dor!

Damaris disse...

Minha Linda... Neste momento qualquer palavra... Perde o sentido... Mas acredite que com o tempo essa dor vai deixar de existe... Quando a saudade chegar... Você vai poder agradecer os momentos maravilhosos que vocês tiveram... Tenho certeza que você vai ter muito para agradecer... Precisando de alguma coisa é só GRITAR... Cuide-se... Fica em PAZ... Que Deus te abençoe sempre... Beijos no coração, Damaris.

Existe uma força que nos leva a viver,
que nos faz recomeçar
Que nos faz sorrir,
que nos faz suportar as
dores, a saudade.
Que nos faz buscar a felicidade
Existe uma força que nos faz sonhar
Uma força que nos faz acreditar
É uma força chamada amor,
persistência
Uma força chamada fé.
A FORÇA CHAMADA "DEUS"